quarta-feira, 16 de junho de 2010

O olhar não engana (?)

Há muitas coisas que enganam mas um olhar não. Ou sim? Às tantas também engana. Ou não? Pode dizer-se a verdade apenas com os nossos olhos? É capaz de ser uma verdade muito subjectiva... Por outro lado, talvez não. Pode dar-se o caso de ser a mais objectiva possível, clara, evidente, esclarecedora - a verdade do olhar. Bom, mas continuo a duvidar desta luz secreta do olhar que ilumina a verdade. Mas, são tantas as vezes que um olhar não engana... É preciso levar também em conta que há olhos e "olhos"... Acontece os olhares serem muito ambíguos. Se calhar, é preciso apostar neles. Apostar a solução de um crime por desvendar. Apostar uma vida que ficou para trás. Apostar tudo - apostar a justiça, apostar a memória, apostar as fixações e as obsessões, as crenças e os desejos. Afinal, o olhar não engana. Não engana mesmo. Nem as paixões. Podemos deixar tudo de lado, menos as paixões. E elas entrelaçam-se com o olhar que as revela. Ou não? Continuar a perguntar sem resposta última, é uma opção. Mas eu aposto na verdade do olhar. Sobretudo porque gosto de policiais com solução.

Tudo isto a propósito desta excelente história -  AQUI


12 comentários:

Porfirio Silva disse...

Ana Paula,
Gostei muito desse filme. Vi-o em Espanha, durante estes meses que estive em Madrid. Quanto aos olhos: neste caso, os olhos não queriam enganar. Os olhos queriam mesmo dizer. Assim, a questão de saber se os olhos podem ou não enganar, sendo uma boa questão, não é a questão perfeita para este filme. Para este filme eu preferiria a questão: como pode resistir-se a certos olhos?

Ana Paula Sena disse...

Eu também gostei imenso do filme. A história está muito bem arquitectada.

O Porfírio é bem capaz de ter razão quanto à questão perfeita para o filme. Até porque o olhar dela era de facto espantoso. Irresistível.

Mas como essa parte da história aparece entretecida com a do desvendar do crime, a minha questão refere-se sobretudo ao olhar do criminoso. Acho que ele não queria dizer nada de especial com o olhar. No entanto, disse. Claro, houve quem soubesse ler o dito olhar.

Portanto, serão duas leituras da história que se cruzam. O que não retira nada à sua excelente questão: como pode resistir-se a certos olhos?

Há.dias.assim disse...

As paixões, os olhares, os olhares dos apaixonados... são coisas belas. Só as cinzas das paixões são tão dolorosas...

via disse...

já fiz comentário, penso que o olhar quando tocado de paixão, não engana, mas nem sempre queremos ver.bjo

Ana Paula Sena disse...

Há dias assim: é verdade, tudo pode reduzir-se a cinzas. Felizmente também há a Fénix renascida :)

via: eu li-te sobre o filme e gostei, claro.

Na verdade, isto é um mundo de equívocos :))

Beijinho

Manuela Freitas disse...

Olá Ana Paula,
Ainda não vi esse filme, nem um outro, que pelo seu post também me interessa ir ver. Os filmes não sendo de grande poder comercial, custam a chegar cá acima, tb por cá só nos cinemas Medeia de Paulo Branco, podem ver-se esses filmes!...Agradeço as dicas. O mais interessante Ana Paula é que eu tinha algo escrito sobre os olhos, precisamente se mentem ou dizem a verdade, mas já não vou publicar. O que penso disso? Depende! O pior mesmo é só me aperceber «à posteriori» que os olhos mentem, porque os olhos tb iludem muito!...
Bj,
Manuela

Mar Arável disse...

Eu já vi um cego

a chorar lágrimas vivas

Bj

LN disse...

:)

Excelente blogue.
Vou seguindo.

Lorenzo M. disse...

“Os olhos são a lâmpada do teu corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo irradiará luz; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo mergulhará nas trevas...”

(Mateus 6.22)

Há.dias.assim disse...

Já fui ver o filme. E adorei.
Marcante, intenso!
Obrigada pela dica.
Bjs

analima disse...

Depois de pensar que já não conseguiria vê-lo no cinema vi hoje, finalmente, o filme. É uma excelente história, sim. E, neste caso, como noutros, o olhar só não engana porque quem olha quer desesperadamente ver.

Ana Paula Sena disse...

Ainda bem que gostou, Analima. É um dos que apareceram este ano que considero imperdíveis.