domingo, 12 de agosto de 2012

grandes questões

«Ouvi dizer que ela vem; estou todo o dia à espera dela». Isto é um relato sobre a maneira como passei o dia.  - No decorrer de uma conversa descubro que se tem que esperar um determinado acontecimento e tiro esta conclusão com as palavras: «Tenho então agora de esperar que ela chegue.» A isto pode chamar-se o primeiro pensamento, o primeiro acto desta expectativa. - À expressão «Espero-a com saudade» pode chamar-se um acto de espera. Mas também posso pronunciar estas palavras como o resultado da minha introspecção, caso em que significam : «Assim, dado tudo isto, espero-a ainda com saudade.» A questão é esta: como é que se chega a estas palavras?
Ludwig Wittgenstein, Investigações Filosóficas

1 comentário:

vbm disse...

Para o Wittgenstein das "IF's", a linguagem deixou de ser apenas a representação inteligível do mundo, como no "T.L-Ph", e passa a ser a expressão do modo de vida do falante...

Ora, o modo de vida do "apaixonado" está bem retratado no «estar todo o dia à espera dela»... :))

Em todo o caso, alguns apaixonados assumem que "esperar não é saber", e justamente, como diz o verso, «saber é fazer a hora / não esperar o acontecer»...

Será esta a síntese do "Tratado" com as "Investigações"? :))