terça-feira, 15 de março de 2011

Gravidade

Ando preocupada com muitas coisas. Entre elas, ando muito preocupada com isto. Sobretudo quando nos chegam imagens repletas de cenários trágicos, a par da solene dignidade de um povo.
E este sonho, que mais nos envolve enquanto pesadelo, tem qualquer coisa de premonitório. No mínimo, é um  gritante alerta, e o legado de um grande artista. É ver, pensar, e, acima de tudo, se possível, ajudar os outros, que é como quem se ajuda a si mesmo.  

 


8 comentários:

TERESA SANTOS disse...

Ana Paula,

Há, em tudo isto, algo de aterrador!
O terramoto e subsquente tsunami, por si só, já assustam.
Mas o que é ainda mais aterrador é o desastre nuclear.
As consequências dos outros dois desastres (tendo em conta que a morte é uma inevitabilidade!), com o tempo (quanto?) voltam a ma certa normalidade.
Mas, e o nuclear? O nuclear vai afectar gerações e gerações!
Um susto, o que o homem fez deste mundo!
O minimo que podemos fazer é ajudar, o mínimo.
Beijinho.

C. disse...

É que por muita preparação e salvaguarda que o Japão pudesse ter em matéria de sismos, os efeitos deste último passaram além das suas previsões e do controlo dos danos, pois ocorreu associado a um tsunami. A Natureza é soberana, acredito nisso.
Por que não, então, aproveitar as energias que dela podemos colher? São lindíssimos os "moinhos" eólicos ali para os lados de Mafra!

Não sei um caracol de energia nuclear. Mas que raio, se os riscos são tão elevados... não teremos inteligência para seguir outras vias de desenvolvimento científico?
Uma criança é uma criança é uma criança.

Beijinho, Ana Paula.

Manuela Freitas disse...

Olá Ana Paula,

Tão em cima de tudo o que se passa em qualquer ponto do mundo, da forma mais real possível, eu já não vejo nada com que não me preocupar!...
Mas mesmo na ignorância de um espaço limitado...sempre teriamos a preocupação por companhia...o medo é algo intrínseco à nossa condição, o medo que muitas vezes nem se sabe de quê...

Beijos,
Manuela

José Marinho disse...

É nestes momentos que se vê a grandiosidade de um povo. Nos pequenos pormenores: um japonês em directo para a SIC, telefonava, eventualmente, para a sua família, dizendo, cito de memória, "é horrível, mas consegui ver hoje o brilho da lua e as estrelas no céu". Subiu para a bicicleta e seguiu. Kurosawa não é só um artista, é um senhor. Quando colocam no Olimpo Manuel de Oliveira, perdoem-me se estou a parecer anti-português, onde deverá estar aquele Homem? E tu, Ana Paula, bem hajas pelo teu gesto. Tudo de bom.

Eliete disse...

Ana Paula, sem comentários para uma dor tão profunda como esta.Só tristeza e uma vontade férrea de acreditar que tudo irá terminar bem.bjs

Zénite disse...

Rosa de Hiroxima


Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexactas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroxima
A rosa hereditária
A rosa radioactiva
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atómica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada.

Vinícius de Moraes

Boa tarde, Ana Paula!

Mar Arável disse...

Partilhar

é preciso

anamar disse...

Impressionante, Ana Paula...
Há todas as razões da vida para preocupações..
Não consegui abrir o video.
Bfs.
:))