segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Rentrée

Agora, que é hora de voltar à labuta, é bom relembrar: este mundo que amamos está repleto, ainda assim, de n coisas que é preciso melhorar e modificar. Há por aí, dispersa ou não, muita violência. Por trás de aparentes "quadros lindos", espreitam cenários que são, não só decepcionantes, mas, muitas vezes, verdadeiros quadros de horror.
Recomeçar a sério implica sempre um certo ímpeto de transformação. O que também conta para um mundo melhor, sem violência.
A propósito disto, ou por tudo isto, Bob Dylan continua excelente!



Bob Dylan - Beyond Here Lies Nothin'


Oh well, I love you pretty baby
You're the only love I've ever known
Just as long as you stay with me
The whole world is my throne
Beyond here lies nothin'
Nothin' we can call our own


Well, I'm movin' after midnight
Down boulevards of broken cars
Don't know what I'd do without it
Without this love that we call ours
Beyond here lies nothin'
Nothin' but the moon and stars
 
Down every street there's a window
And every window's made of glass
We'll keep on lovin' pretty baby
For as long as love will last
Beyond here lies nothin'
But the mountains of the past
Well, my ship is in the harbor
And the sails are spread
Listen to me, pretty baby
Lay your hand upon my head
Beyond here lies nothin'
Nothin' done and nothin' said

14 comentários:

RAA disse...

Boa reentrada, Ana Paula :|

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Belíssimo comentário à epoca pos estival. É, de facto, tudo isso. Urge a autenticidade e o sorriso esperançoso nas mãos que desfiam o quotidiano, convertendo-o!

Um bjinho

José Manuel Marinho disse...

Olá, Ana Paula! Bom regresso! Tens razão - sem "transformação" não há nenhum "recomeço". Lembro também "times they are achenged" de B. Dylan e "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís de Camões

anamar disse...

Bom começo Ana Paula...
Vamos lá com energia mostrar que a mudança é urgente.
Beijo amigo
Ana

Ana Paula Sena disse...

Obrigada, RAA :)

Ana Paula Sena disse...

Obrigada, Daniel :)

É preciso recomeçar com alguma "garra" e esperança! Assim aconteça.

Um abraço.

Ana Paula Sena disse...

Olá, Jota :)

Bom regresso também para ti!

Grandes lembranças nos trazes.

Tudo muda, é certo. Esperemos e lutemos, portanto, por melhores transformações...

Um abraço

Ana Paula Sena disse...

Obrigada, Anamar :)

Vamos, sim. Porque é verdadeiramente urgente mudar para melhor. E com tanto que há a melhorar...!

Um grande beijinho amigo.

Austeriana disse...

Bons recomeços, Ana Paula!

Abraço.

Há.dias.assim disse...

Olá Paula
BD sempre...
Bom regresso!

Ana Paula Sena disse...

Obrigada, Austeriana.

Um abraço e votos idênticos para si :)

Ana Paula Sena disse...

Há dias...: Sempre, claro :)

Obrigada!

TERESA SANTOS disse...

Chegado Setembro - e se conseguirmos esquecer o "calvário" (vários) que pululam à nossa volta - o mês que nos transporta à "normalidade" só nos pode fazer felizes.
Finalmente!...
Beijinho.:)

Ana Paula Sena disse...

Beijinhos, Teresa :)

Setembro é um mês muito bonito. Mas, tens razão, à nossa volta há muito com que nos preocuparmos.