segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A Dança

La Danse é um excelente retrato da vida dos bailarinos d' L'Opéra de Paris. Ao longo das cerca de três horas deste documentário de Frederick Wiseman, acompanhamos o trabalho intenso e exigente de bailarinos e coreógrafos, mas não só... Todos aqueles que estão envolvidos no espectáculo, esse que nós descansadamente apreciamos sentados numa poltrona, são-nos aqui revelados. Isto, para o caso de termos esquecido que cada um é uma peça fundamental para obter o resultado final, assim como para a manutenção  eficaz da vida desta instituição.


Apesar de ter achado o documentário um pouco longo demais, visionado sem interrupção, não gostaria de ter perdido a oportunidade de, entre outros grandes detalhes, acompanhar um pouco do trabalho mais recente que se faz ao nível da dança contemporânea. Le songe de Médée de Angelin Preljocaj (que já conhecia, com Blanche Neige), por ex., assim como as coreografias de Mats Ek (que desconhecia), pareceram-me momentos artísticos extraordinários.

Não é aqui esquecida a problemática relativa ao Estatuto da Carreira de Bailarino Profissional. Tratando-se de uma profissão de desgaste rápido, como sabemos, coloca-se a questão de determinar como deverá conferir-se-lhe uma adequada protecção social.

Uma pequena amostra coreográfica de Mats Ek




Mais sobre o filme   AQUI

12 comentários:

Paulo disse...

Olá, Ana Paula. O seu -excelente- post assinala questões muito importantes sobre a criação artística que muitas vezes passam despercebidas ao primeiro olhar. O trabalho colectivo, a estrutura hierárquica rígida e o permanente rigor são as bases do sucesso de um trabalho de que, muitas vezes, só vemos o produto final. Não conheço o trabalho de Wiseman (há vários documentários, penso) mas fiquei muito curioso. Boas férias!

Há.dias.assim disse...

Tenho saudades de assistir a um bom ballet. Será para breve!

Ana Paula Sena disse...

Paulo, muito obrigada pela atenção dispensada ao documentário.

Este filme de Wiseman é bastante interessante, ainda que já tenha lido algures que não se trata de um dos seus melhores filmes. Também eu não conheço tudo dele.

Mas continuo a achar que estas são cerca de 3 horas bem aproveitadas.

Boas férias, também!

Ana Paula Sena disse...

Há dias...: digo o mesmo :)

Mar Arável disse...

Excelente e oportuno

Imperdível o contacto com o seu espaço

Bj

TERESA SANTOS disse...

Ana Paula,

Obrigada por estes 8 minutos de sonho. E claro, quero ir ver o filme.
Um dos meus afilhados é 1.º bailarino da nossa Companhia Nacional de Bailado.
Tenho acompanhado sempre, desde pequenino, o seu percurso, a sua determinação.
Estamos perante uma profissão/arte que exige uma entrega total, muito espiríto de sacrifício, muito sofrimento.
Lembro-me de numa ocasião ele ter ficado (e quantas mais??) com as pernas cheias de manchas vermelhas, quase negras, de se arrastar pelo chão, de acordo com a exigência da coreografia.
Mas é feliz, o meu menino, e isso fá-lo ultrapassar todos os sacrifícios.
Beijinho.

Manuela Freitas disse...

Ana Paula,
Tenho pena, não vi! Alguma coisa passa por aqui, mas muito pouco, cada vez menos. Os melhores espectáculos de Dança, vi em Lisboa. No Porto, com os cortes nos subsídios, todos os projectos têm morte anunciada!
Beijinhos,
Manuela

vbm disse...

Não vi. Mas deve ser muito... institucional? Hum... :)

Notei, - noto -, as tuas
fotografias no blog.

Estás muito bonita.
É das férias
"a gosto"!

:)
ab.,
vasco

Ana Paula Sena disse...

Mar Arável: muito obrigada :)

Um abraço.

Ana Paula Sena disse...

Olá, Teresa :)

Eu é que devo agradecer-te por partilhares aqui connosco a carreira artística do teu afilhado. Os meus parabéns a ambos.

Um excelente motivo de orgulho!

Beijinho grande.

Ana Paula Sena disse...

Olá, Manuela :)

Pois... eu sei que anda tudo difícil no mundo da arte. Pelo que sei, também em Lisboa, pelo menos. Se pensarmos no resto do país, então...

Mas, também é certo que acontecem boas surpresas, há muita gente criativa e que consegue ultrapassar as dificuldades.

Um beijinho grande.

Ana Paula Sena disse...

Olá, Vasco

...e institucional é bom :)

Obrigada! É bem verdade, as férias fazem-nos bem. Repousam-nos e dão-nos vida nova.

Um abraço.