segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Incógnitas



Dobrado o Cabo das Tormentas, ficou o Cabo da Boa Esperança. E agora, que nos espera depois de dia 27? Um país vivo e colorido? Enérgico e empreendedor? Procurei respostas por longos e turbulentos caminhos... Só uma me convenceu. Para amenizar os prognósticos, tem forma musical. Haja alguma coisa que me anime.




Imagem de Daniela Edburg

9 comentários:

vbm disse...

:)

era uma bonita voz,
a doris day

:)


das eleições,
não se vislumbra bem
que 'salvação' pode chegar...

contudo, ao modo de schumpeter,
não é impossível virmos a descobrir
em Portugal um caminho de invenção
que nos redima desta condição
tão diminuida...

por mim, ao modo de platão,
instituiria a obrigação
de ouvir "os que sabem"
sobre todas as matérias
de estratégia;

os políticos
decidiriam;

mas a opinião pública
acederia pela televisão
e pela net ao conhecimento
das opiniões d' "os que sabem"

e confrontá-las-ia com as decisões dos eleitos.

Mar Arável disse...

Pelo sonho

é que vamos

Violeta disse...

Ana
o que custa é que meia volta e lá estamos no cabo das tormentas ...

RAA disse...

Tem esperança, Ana Paula? Eu também :|

poematar disse...

Optaste bem... Olha, política, actualemnte, não é política... Vai ficar tudo mais ou menos no mesmo. Temos que nos transformar em Sólon. Tudo de bom.

daniel disse...

Um pouco de animação faz sempre bem para fugir às demagogias do dia-a-dia! =)

ando sempre à espreita neste recanto fantástico!

GJ disse...

Fica pelo menos o Cabo da Boa Esperança, o que é bem melhor que o Furriel da Desgraça.
E agora o Coronel a quem não passa nada, vai ter de explicar o que afinal escutou.

via disse...

alguém em campanha falou das reformas que os animais políticos acumulam por causa da acumulação de funções? ou ando distraída ou nops! a....é a mesma mudarão perhaps algumas moscas!

TERESA SANTOS disse...

Há medida que o "grande" dia se vai aproximando sinto um misto de esperança, descrença, desinteresse, mágoa, raiva (por tudo o que de errado tem sido feito), enfado, náusea...
Alguém me diz o que faço com este cocktail?!
Obrigada pela Doris Day. É sempre bom revê-la.
Abraço.