sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Não era. É.





Ontem, casualmente, dei comigo em revisitação de India Song. Um filme que sempre me foi difícil. E é já neste quarto confronto, que se dá o encontro: deixo-me ficar no tempo lento... lento. E passa tão devagar que fica... parado na magia dos instantes.
Não sei o que é o tempo. Mas sinto-o quando é presente. É esse o tempo da amizade. O tempo do amor.





[dedicado a duas queridas amigas tão presentes]



Imagem daqui

11 comentários:

Mar Arável disse...

Que belo o seu tempo

sem calendário

Maria Emília disse...

Ana Paula, não a conheço e é a primeira vez que visito o seu blog. Como sei que é amiga da Isabel vim dizer-lhe que lancei uma corrente de energia e oração no meu blog. Se quiser participar será mais um elo muito importante dessa cadeia.
Um beijinho,
Maria Emília

audrey disse...

India Song...

difícil sim mas
eram tempos, eram filmes
ávidos
que nos deixavam ávidos...

saudades desses tempos,

muitas!

C. disse...

Preceu-me sempre que neste filme as palavras não se encontravam com os corpos que as diziam. E vice-versa. Também tive alguma dificuldade, mas como Duras é uma das minhas predilecções, foi uma espécie de desafio...

Obrigada pela oportunidade de repensar esta questão.
Beijinho

José Marinho disse...

Sim, em India Song a presença do tempo interpela-nos. É um filme forte que emociona e motiva a inteligência do espectador. Por outro lado, com Pasolini, em Salò, levamos um forte soco no estômago ao vermos a abjecção do poder em metáfora, cruel, como é qualquer poder, seja ele democrático ou não. Tudo de bom e que viva a amizade!

Violeta disse...

Ana Paula
Hoje fiquei-me por aqui mais tempo...
Um bj e bom fim de semana

anamar disse...

Ainda o ano passado o revi na Tv.
E sobre ele "postei".
Enigmatico e belo!
Duras, companheira de alguns anos...
:))

poematar disse...

Desculpa a moderação dos comentários; não sei como isso acontece, uma vez que não activei a opção. Tudo de bom e ... Tempo para a alegria.

partilha de silêncios disse...

Belo filme.
Viva bem esse tempo da amizade e do amor, a maioria das pessoas está muito cansada para se movimentar na direcção do outro e se tocarem e abraçarem.

bjs

via disse...

é um filme sobre o tempo, em múltiplos aspectos e um objecto muito misterioso.bjo

mdsol disse...

Viva , querida Ana Paula

Ando afastada por falta de tempo. Mas gosto sempre de vir aqui. Entre outras coisas, este espaço é muito consolador.
Beijo
:))