sábado, 7 de março de 2009

Estrela Polar


O estado do mundo, já se sabe, é preocupante. Sempre o foi. Sempre o será, certamente. A perfeição não é dom do ser humano. Mas impressiona-me demais o acréscimo da violência que nos é transmitida diariamente. Dizem que sempre existiu. Pois sim, acredito. Mas, hoje, faz parte das nossas vidas diárias e concretas. Se, por um lado, isso é positivo, porque nos alerta para o que vai por esse mundo fora; por outro, transporta-se, de facto, para o nosso convívio diário com a realidade.

Ainda hoje vi algumas imagens de inacreditável barbaridade: algures nos E.U. A., a condutora de um autocarro foi brutalmente espancada por alguém que nele entrou, ou nele viajava, não posso precisar. Não consegui ver tudo. A forma louca e transtornada como era espancada... uma violência que me pareceu vir do mais fundo (reprimido) daquele ser... o facto de aquela mulher estar totalmente exposta à brutalidade e sem protecção... desviei o olhar... Terrível! Estamos bem longe do progresso!

Pode ser considerado evasão, é possível que o seja, mas também pode ser simplesmente a necessidade de alguma serenidade: dou por mim sempre muito fã de olhar o firmamento, qual Sócrates nas Nuvens de Aristófanes. Mas Kant também afirmou ser o céu estrelado uma das duas coisas que nunca deixou de lhe provocar espanto e admiração (sendo a outra a existência de uma lei moral). Olhar os céus, muito provavelmente, não resolve os problemas na terra. Mas ajuda a relativizar factos, acontecimentos e actos que podem parecer, então, totalmente desnecessários e irrelevantes.

Por tudo isto, qual não foi a minha alegria quando uma das minhas filhas me surpreende com esta pergunta difícil (para mim): "Porque é que a estrela polar indica o norte? Mas porque é que o indica sempre?" A verdade é que o espanto e a interrogação podem ser tremendamente espontâneos e desconcertantes. Confrontada com este problema, para não a desiludir, foi preciso perder bastante tempo a clarificar ideias, e a elaborar uma explicação relativamente simples e plausível de algo que não o é propriamente. Mas valeu a pena! Passei umas horas excelentes às voltas com a Estrela Polar( Polaris)!

Aqui fica ela:



Mais sobre a Polaris


Imagem: Women observing stars, Chou Ota


10 comentários:

mdsol disse...

Tão delicado o teu post! De tanta esperança, sem ignorar a realidade, é um post doce!
Que bom!
:))

Artista Maldito disse...

Olá Ana Paula

Hoje não sei o que se passa com a net, tem sido difícil entrar nos blogues e no gmail.

A pergunta da filha da Ana Paula foi muito bem colocada. A resposta muito bem dada. Vou contar-lhe a diferença que existe entre o meu irmão e eu. Quando olho o firmamento é de forma poética, de alguma maneira até pagã. O meu irmão, por outro lado, não perde tempo a contemplar o céu, preferiu olhá-lo com o rigor das medidas, das distâncias, da perspectiva de um matemático da área da astrofísica.

Penso que estas duas visões do universo não se antagonizam, mas nos enriquecem.

Agora sou eu que digo: ADOREI:)

Espero que este seu esforço de pesquisa desperte na sua menina algo de muito rico e fascinante na vida que tem pela frente.

Um beijinho
Isabel

Mar Arável disse...

Bela experiencia

num texto sincero

Na verdade relativa

por vezes o norte

fica um pouco ao lado

da estrela

depende dos nossos olhos

Violeta disse...

Paula
A violência também é algo que me incomoda muito e incomoda mesmo. Vi as imagens a que te referes e fiquei pasmada. Li a snot+icia sdo jovem que há tempos entrou por uma cresce na Bélgica e matou crianças...
A violência naõ pára e dou por mim a pensar que a resposta para esta violência descontrolada está na forma como educamos as crianças, seja lá o que isso for e o tamanho da abrangência desta afirmação. Assim, direi que a pergunta d atua filha e a tua resposta me sensibilizaram, neste mundo que gosto de referi "idade média dos tmnepos modernos..."

Frioleiras disse...

Obrigada Ana Paula pela explicação....

(estrela polar, o norte....... coisas que quase já não ligamos e que nos davam a dimensão da magia, da beleza e da maravilha que era pertencermos ao universo...)

observatory disse...

la longe

tao perto.

olhe a palma das maos

diga-me

olhe outra vez

de novo.

de amar

de matar...

olhe mais uma vez

o q sente?

Artista Maldito disse...

Olá Ana Paula

Desejo-lhe um Feliz Dia da Mulher.

Deixo-lhe uma orquídea e um beijinho
Isabel

via disse...

Que não nos faltem as estrelas polares!

mié disse...

Olá Ana Paula

Adorei o post.

Também me chocou aquela cena tão brutal, irracional, e acredito que aquela pessoa deve estar num sofrimento tremendo.

Depois disto dás-me o céu :))

Durante una anos na infância tive um sonho que se repetia muitas vezes. Sentada no passeio de casa (era em África, onde a linha do horizonte é sempre muito longe) olhava o céu numa actividade extraordinária. Tudo se mexia: estrelas, planetas e cometas tudo riscava o céu, e eu, no sonho, olhava deslumbrada aquilo tudo que para mim (no sonho) era o fim do mundo :))

Desde que me conheço tenho um fascínio especial pelo céu, pela nossa galáxia, e conheço muitas das constelações :))

Adorei o teu trabalho de pesquisa.
Uma boa explicação sobre porque é que a estrela polar nos indica sempre o Norte. Gostei.

Um beijo enorme


PS: tenho-te lido sempre sabes, eu sei que sabes, que gosto de te ler e muito... mas, estou num tempo um pouco mais complicado, a minha disponibilidade mental está-me a ser sugada por uma situação deveras importante para a minha vida, saúde,... por isso estou mais ausente, estando presente.

um beijo

muito terno

Ah... filhas??
Parabéns :)

vbm disse...

Instrutivo, o vídeo
da estrela polar
e ursa maior!


Ontem, na televisão
mostraram alguns planetas
do sistema do sol e as condições
físicas de todos eles excluem a vida humana.

Estranha e espantosa, a improbabilidade
da nossa existência à face da Terra!

...