terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Épocas

Nas minhas deambulações em busca de fotografias que tenham o condão de me interessarem ainda mais por esta arte em especial... (muitas tenho descoberto), encontrei esta que me fascinou verdadeiramente pelo seu carácter de um sincretismo excepcional (de acordo com a minha leitura). Para além dos aspectos especificamente técnicos que não são do meu domínio, encontrei nela, pelo que referi e muito mais ainda... essa pedra de toque que parece fazer toda a diferença quando se trata de arte.





A fotografia é de Dorothea Lange, 1938 e tem como título End of an Era.

Mas vale a pena considerar também o título completo: Funeral Cortege - End of an Era in a Small Valley Town
Olhando-a... não pude deixar de pensar e de me questionar acerca de tudo aquilo que pode marcar o fim ou mesmo o início de uma época... Se serão sobretudo marcos negativos, embora também existam positivos... Se o fim de épocas consiste em progresso ou em retrocesso....

Uma fotografia de mestre(a)!

Recolhida aqui

13 comentários:

Pitucha disse...

Espectacular a fotos, de facto.
Beijos

isabel mendes ferreira disse...

e os mestres ficam eternos aos olhos de quem os sabe sentir.


como tu.


em sintonia de uma vis�o �ntima.
esclarecedora. por�m.


gosto do teu olhar.


at� ao fim.




beijo.te.

alice disse...

uma fotografia deveras nostálgica, querida ana paula. o olhar daquela mulher leva a dor da perda nele *

beijinho grande.

Carla Milhazes Gomes disse...

Ana, trouxeste até nós uma fotografia de mestre(a) ao som dos mestres Pink Floyd!

"No one told you when to run"...

Haverá melhor descrição do que é o passar do tempo do que esta?

Beijinhos grandes e amigos e muito obrigado por este momento:)

MiE disse...

Fantásticas fotos

Acontece arte quando o fotografo capta a alma do objecto fotografado.

Este é o caso. Há naquele olhar uma tristeza que gera o vazio e a indiferença,
na minha perspectiva.

Se o fim de épocas consiste em progresso ou retrocesso...

"(...) Não há caminho nenhum que conduza atrás. No principio de todas as coisas não há inocência nem ingenuidade; tudo o que é criado, mesmo aquilo que parece simples, já de si é culpado, multifacetado, lançado na torrente lamacenta da evolução, e nunca mais poderá subir a corrente."
Hermann Hesse

Um beijo

fica bem

manhã disse...

Fotografia fantástica! Tens um desafio no meu blog!

e-ko disse...

imagem cheia de tempos do tempo

de tempos de sofrimento

tempo de movimento parado... o tempo solidificado.

o tempo dos floyd é um tempo em movimento distanciando-se do tempo gelificado da fotografia.

obrigada pelas palavras simpáticas que deixaste pelos meus e-kones estilhaçados.

beijo

maria disse...

vim de visita a este novo sítio.
beijinho

A estranha disse...

Bem... Em primeiro lugar os meus parabéns pela nova "casa", está linda e muito tua, confesso que o fim do música do acaso me deixa um sentimento de perda a par com a vontade de descobrir esta tua catarse...

Quanto à foto, concordo plenamente com essa questão que apresentas da pedra de toque... Também eu lhe senti aquele indefinível valor estético a que se chama arte...

Quanto à questão do final das épocas, apraz-me pensar no tempo como uma sucessão de ciclos mais ou menos diferentes na sua repetitiva sucessão, para que um ciclo comece é preciso que "morra" o anterior... A morte gera a vida e vice versa...

Nem precisava de dizer, mas Pink Floyd é um ciclo que em mim se recusa a morrer, o que vale é que tenho muito espaço para música :)

Muitos beijos e até já...

Doushura disse...

I read this article
here

@zulebranco disse...

Bom dia,

Desculpe a intrusão neste espaço muito agradável onde tudo é perfeito....Parabéns e obrigado pela partilha...

Miguel Garcia disse...

Bom dia!
Tenho vindo aqui ao novo espaço Ana Paula, e tenho gostado do que vejo =)
Gosto de fotografia, tenho pena de não tirar mais tempo para investir nesse campo.
A fotografia tem essa grande particularidade, conter num só frame vários sentidos, quantos mais conseguir, melhor.
Tenho especial admiração e gosto por fotografias a preto e branco e sépia. Tem o sentimento da nostalgia =)
Gostei!
Um abraço!

isabel victor disse...

Segui os caminhos que indicaste ...

gostei, Ana Paula

Bj*

iv