sábado, 16 de fevereiro de 2008

Música ontem-música hoje

A Manhã - do blogue SAXE - fez-me um desafio: as músicas da minha juventude.
De ontem e de hoje, claro!

Para ela e para todos, aqui fica a minha resposta, com muita MÚSICA!!!

SUPERTRAMP - Crime of the Century e tudo o resto

PINK FLOYD - The Dark Side of the Moon

The Doors - Morrison Hotel

Led Zeppelin



QUEEN - A Night at the Opera

Sérgio Godinho - De pequenino se torce o destino

Genesis - The Lamb Lies Down on Broadway



JETHRO TULL - Songs from the Wood e tudo o resto

ELIS REGINA - Elis

e muitos outros(as) que ficam por citar...


Deixo ficar o mesmo desafio a todos os que por aqui passarem e queiram dar-lhe resposta...


10 comentários:

Bandida disse...

saudades de algumas destas!

beijo AP

peregrino disse...

dos eleitos eu digo
do astro pulsando sobre a raiz.
da boca rubra das palavras, subindo.
subindo sempre, desde os alicerces.
dos espelhos. dos espelhos que tornam
a luz mais intensa do fulgor de incêndio...



Eleitas as músicas? Não, quem as trouxe aqui.

Gosto de tudo o que aqui vejo e ouço. Parabéns.

Bom fim-de-semana

0.03 disse...

Wow!
That's whatt I call a revvvolution :)

Tenho andado um pouco na minha konxa, também porque me ciber-aborreci com alguém que andou a espalhar má onda pela minha ciber-rede social.

mas adiante

achei que tavez te interessasses por isto (do meu útimo post)

"Ainda que possa ser um pouco impreciso negar que haja predecessores filosóficos quanto ao tema do amor, Schopenhauer tem razão ao dizer que quase ninguém, antes dele, pensou plenamente nas implicações que o amor tem para a preservação da existência humana. Tese naturalista que não encontrou eco nem na filosofia de Platão que, segundo Schopenhauer, foi quem mais se ocupou do assunto, principalmente em O banquete e o Fedro, contudo limitando-se à homossexualidade e à criação do mito, nem em Rousseau, que tratou o tema de forma insuficiente no Discurso sobre a Desigualdade, nem em Kant, que na terceira parte de seu ensaio Sobre o sentimento do Belo e do Sublime tratou o tema muito superficialmente e sem conhecimento de causa e, por isso, de forma incorreta, e nem mesmo em Spinoza que, em sua Ética IV, proposição 44, demonstração, diz que o amor é uma cócega acompanhada da idéia de uma causa exterior"

bjs

isabel c. disse...

genesis. era a minha banda preferida (com Peter Gabriel). supper's ready fabuloso.

beijo

Miguel Garcia disse...

Bom dia, ainda que o tempo esteja estranho... os deuses devem andar furiosos.. também tem direito.

Belas escolhas, especialmente Supertramp, Pink Floyd, Doors, Genesis, Jetrho Tull e claro os grandes Led Zeppelin que arrisco-me a dizer que fizeram a melhor música de sempre, Stairway to heaven, com um dos melhores solos de guitarra, salve Jimmy Page, de sempre!
Abraço!
Cheira a música por estes lados! =)

Tríade Aumentada disse...

Ah... velhos tempos!

MiE disse...

Destas também me lembro bem!!!



Há musicas intemporais

um beijo

grande

alice disse...

boas escolhas, ana paula. eu confesso que teria alguma dificuldade em responder a um desafio deste género :) beijinhos*

A estranha disse...

Como sempre minha cara Ana Paula, por estas bandas impera o bom gosto!

Um beijo e até já!

e-ko disse...

como a minha juventude é todos os dias e que ouço música durante todos os dias da minha juventude passada e porvir, a lista é longa e são coisas que ouço em qualquer altura e em desordem:

as variações Goldeberg de Bach tocadas pelo Glen Gould:

We shall over come (velha 200 anos, canção de escravos em revolta) cantada pela Joan Baez;

A strange fruit, cantada por Bilie H.

Like a roling stone do Bob Dylan;

Il est 5 heures Paris s'éveille de Jacques Dutronc;

La mauvaise réputation de George Brassens;

Barbara;

I wish you were here, time, dos Pink Floyd;

Algumas dos Beatles;

Algumas, as primeiras; dos Bee Gees,

On the dark of the bay pelo Otis Reding;

As tocatas de Frescobaldi e de Bach;

Roxana dos Police;

Todas as do Lou Reed e Velvet Underground;

Depois: Jeferson Airplaine, Jimmy Hendrix, Ianis Joplin, Eagles, Clapton, Miles Davis, Bjork, Coldplay, Moby, Blur, etc...

e podia continuar...
abraços por aqui