segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

cafeína


3 comentários:

Ana Paula Sena disse...

cuidado com a cafeína :))

vbm disse...

:)

Mas não percebi
se a mulher, última empregada,
era a viúva do suicida!? :) :(


Mas olha que estas movimentações
de massas, de gente urbana,

sempre me irradiou
para um trânsito contrário
ou desfasado.


Em Paris, de há meio-século atrás,
era impossível o metro em horas de ponta,
e intolerável fazer bicha para comer,
não importa em que self-service.

Mudei de horas, para tudo!

E há quarenta anos atrás,
naquela onda de festivais de Vilar dos Mouros
e corridas de automóveis em Vila de Conde,

perante uma bicha de trânsito,
de uns treze ou mais kilómetros,

abandonei o carro, numa das praias,
e segui pelo areal até ao circuíto
das corridas! :)

Ana Paula Sena disse...

Vasco, gosto de saber das tuas memórias!

...isto é, para mim, a loucura e o stress da "formatação" do ser humano.

sem cafeína hiperactiva, deixo-te um abraço :))