sexta-feira, 4 de maio de 2012

em câmara lenta

Fotograma do filme Em Câmara Lenta - Fernando Lopes (2011)


às vezes não vale a pena dizer nada. uma imagem pode mesmo valer por mil palavras. apesar disso, pronuncio ainda algumas. digo palavras como segunda pele ou fato contra a hipotermia que domina. e digo também não ir ao fundo - há-de nascer um dia para nos deixarmos ir até lá. um braço levantado pode ser tudo o que resta. continuo a precisar de lições de natação - eu. e este país de mar também. é tudo muito lento agora. nada escapa ao abrandamento. é proibido deixar de nadar - liberdade ou necessidade?


6 comentários:

Porfirio Silva disse...

Gosto.

Ana Paula Sena disse...

:)))

Manuela Freitas disse...

Estamos cheias de palavras e já nem vontade há para as pronunciar!... A imagem realmente diz tudo! Nadar sem saber onde chegar, mas ainda assim ter grande energia para ficar à superficíe!
Beijo!

Ana Paula Sena disse...

ufff! eu ainda estou à tona, Manuela! vá lá...

beijinho grande :))

analima disse...

Somos uns sortudos, nós, os que ainda estão à tona... E também gostei... :)

Ana Paula Sena disse...

Sobrevivendo...

Um beijinho, Analima :)