quinta-feira, 19 de abril de 2012

--------------------------------------

ela pediu-me ajuda. ela pediu-me por favor. e o que eu penso disto tudo dizia-te se tivesse tempo. a verdade é que não tenho tempo para dizer tudo e tenho tempo demais para dizer nada. em redor de cada um há uma espécie de muro e essas construções monolíticas não são para brincadeiras. ela abriu a porta da casa lá dentro onde tudo ardia. ela precisa de ajuda. lá fora circulam carros. o mundo gira. o tempo dá volta aos dias. olhas um rosto quando o fitas. há pessoas que gritam que calam e outras que calam que gritam. ela precisa de ajuda. eu sei pouco. o que fazer. o mundo é um lugar brutal. os cérebros queimam neurónios. elas deliram contigo. hum. respirar dói na tua ausência. ela precisa de ajuda. o mundo é imenso. eu não consigo dar-lhe um nome. mas pressinto-lhe o tamanho. eu tenho que ajudar. há um oceano de sons. acho que te ouvi. na calada da noite. a terra rodou sobre mim. estou envolta num lençol de tarefas. ela precisa de ajuda. há papéis soltos sobre a mesa. guardados de mim. as horas contêm caos. ligo-lhe amanhã. é preciso dirigir os passos. devo erigir actividades. sublevar adormecidos. ela precisa de ajuda. organizo tudo amanhã. somos todos um. quero. sinto-me átomo. há-de surgir um dia. dissolvo-me no todo. hoje não. mas ela precisa de ajuda. amanhã. penso-te. há milhões de pessoas. cansa-me contá-las. falarei com ela. sinto-te. quero vê-la sorrir. as pessoas deviam ser felizes ao menos uma vez. um mínimo de vida. exigido por lei. falo-lhes disto amanhã.

4 comentários:

César Ramos disse...

... encantado e expectante pelos parágrafos de amanhã... para ousar uma vez por todas ouvir alguém solfejar verdades sentidas. ela vai conseguir... tenho a certeza.

Rita Roquette de Vasconcellos disse...

one thing at a time
:-)
the best help
bjinhos

Ana Paula Sena disse...

César, muito obrigada pela solidariedade e espírito positivo :))

...também eu espero que ela consiga, no mínimo, que vá conseguindo chegar a uma situação melhor. mas estes são tempos muito difíceis para certas pessoas - para demasiadas pessoas.

...verdades sentidas. são as únicas que importa assinalar.

um abraço!

Ana Paula Sena disse...

é esse o meu lema, Rita :)) - uma coisa de cada vez.

beijinhos!