quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

p.f. incomode

Não conheço praticamente nada que consiga dar adequada substância aos acontecimentos dramáticos do mundo, quanto o faz o total e renitente silêncio. Só ele, por exemplo, é capaz de dar real corpo à profunda tristeza. Mas o silêncio tende a ser, por natureza, o lugar do incomunicável. E nós somos seres comunicantes. Não é uma justificação, tão só um preâmbulo aqui esboçado, que serve para manifestar o meu forte desagrado perante notícias como esta.
Posto isto, não é excessivo relembrar que os graves problemas da nossa sociedade são estes (e outros que tais), e não a perene discussão acerca do "sexo dos anjos", com a qual se entretém grande parte dos que assumem as maiores responsabilidades neste país. Que tal se, por exemplo, a comunicação social, em vez de apontar casos desgarrados, aqui e ali, sobre a situação dos idosos em Portugal, chegasse a apresentar-nos artigos sérios sobre o assunto? Que tal debater isto até à exaustão, por aí? Começo a crer que este país, além de velho, está saturado.

Sem comentários: