segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

200 anos de Chopin


«É um jovem que segue o seu próprio caminho, e sabe como agradar por esse caminho, embora o seu estilo de tocar e escrever difira grandemente do de outros virtuosos, e fundamentalmente num aspecto: no seu caso, o desejo de fazer boa música prevalece nitidamente sobre o desejo de agradar.»
- Crítica no jornal Wiener Theaterzeitung, em 1 de Setembro de 1829.
in Chopin - Vida e Obra, Jeremy Nicholas

Não se sabe ao certo a data em que nasceu Fryderyk Franciszek Chopin. Mas não há dúvidas quanto ao ano. Nasceu em 1810.
Em 2010 comemoramos o bicentenário do seu nascimento. Passados 200 anos desde então, muitas serão as homenagens à sua criatividade musical. Motivo mais do que suficiente para revisitar este compositor que tanto admiro.










Imagem: pesquisa do Google

8 comentários:

RAA disse...

Bem lembrado, Ana paula.
Entre nós, vai ser o ano do Bicentenário do Alexandre Herculano, talvez o maior historiador português e um dos grandes da Europa do seu tempo.

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

...e a companhia que ele faz, noite dentro, luz de circunstância, um bom livro ou uma boa prédisposição para escrever...
Bom Ano Novo, Ana Paula.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Gosto de Chopin, mas eu é mais Schubert e Satie...

Sofá Amarelo disse...

Assisti há pouco tempo à palestra de um pianista e professor no Conservatório que elegeu Chopin como o melhor pianista de todos os tempos... é claro que concordo com ele!!!

Um bom ANO de 2010.

vbm disse...

Por causa dos americanos,
Chopin intrigou a minha vida
muito cedo! :))

Eu explico:- o filme americano
sobre a vida de Chopin
e o seu amor por
George Sand.

Só que este! - aiás esta,
mas vestida de homem! -
parecia mais "viril"
do que ele,

o romântico, sentimental,
com sonatas de piano, belíssimas.

Se não erro, Chopin era interpretado por Cornell
Wilde, que também interpretou um outro ídolo
da minha juventude,

Omar Khayyam!


De modo que confundia-me
a roupa de calças
de George Sand;

e só recompunha
a minha empatia pelo casal,
quando a amada soltava

a sua imensa e bela cabeleira

afirmando-se na plenitude
da sua feminilidade! :))

Foi neste contexto que ouvi
e conheci as primeiras belas
sonatas de Chopin! Só depois,
Schubert, List, Beethoven,
música de encanto dos sentidos
do espírito, da paz.

Abraço, Ana.
Vasco.


- Uma perda inconsolável,
a morte de Lhasa de Sela...

via disse...

Muito bonito! bom Ano! Bjo

Fernando Vasconcelos disse...

22 de Fevereiro ou 1 de Março ... O ano esse como diz não há dúvida. Acabamos 2009 festejando Haydn - O pai das sinfonias e Villa Lobos e começamos Chopin e também o tantas vezes (injustamente) esquecido Schumann.

Ana Paula Sena disse...

Obrigada a todos :)

Não esquecerei o Alexandre Herculano, RAA!

Também não esquecerei o Schumann, Fernando Vasconcelos!

Na verdade, nem o Satie (maravilhoso), muito menos o Schubert, talvez ( e penso sempre muito nisto...) o meu compositor preferido!

Afinal, há tantos que merecem ser lembrados. E a música, um universo imenso e tão rico, à nossa disposição :)