terça-feira, 4 de agosto de 2009

Viagens Na Minha Terra

"Eu muitas vezes, nestas sufocadas noites de estio, viajo até à minha janela para ver uma nesguita de Tejo que está no fim da rua, e me enganar com uns verdes de árvores que ali vegetam sua laboriosa infância nos entulhos do Cais do Sodré. E nunca escrevi estas minhas viagens nem as suas impressões pois tinham muito que ver! Foi sempre ambiciosa a minha pena: pobre e soberba, quer assunto mais largo. Pois hei de dar-lho. Vou nada menos que a Santarém: e protesto que de quanto vir e ouvir, de quanto eu pensar e sentir se há de fazer crónica. (...)

Pois por isso mesmo vou: pronunciei-me."
in Viagens na Minha Terra, Almeida Garrett

...que não vou só a Santarém, mas ainda mais além... (re)conhecer a minha terra. Em busca de algum descanso e também de um pouco de felicidade estival, durante uns dias.
Por cá, votos de boas férias para todos! Até já...




13 comentários:

ARTISTA MALDITO disse...

Então até já, Ana Paula.

Divertido, o vídeo:))

De malas quase feitas rumo mais a norte, faltam poucos dias.

E "Viva la Felicità"!

Beijinhos estivais,
Isabel

RAA disse...

boas férias, Ana Paula :|

Contracena disse...

Querida Paula, BOAS FÉRIAS!!!
Na próxima sexta-feira também sigo, não para a minha terra, mas dentro do meu país.
Rumo a Sul, onde o mar é mais azul.

Beijinhos.
Fátima

luisa - fotografia disse...

...e vai muito bem se for até Santarém,não só por ser o local onde nasci e cresci,mas também por ser uma cidade bem bonita e muito acolhedora.
Boas férias :)*

observatory disse...

suba até aqui

:))))) tem muito para respirar

Austeriana disse...

Bela maneira de dizer "até já!"
Umas excelentes férias, Ana Paula!

C. disse...

Pois que tenha umas óptimas férias e que regresse. E bem disposta. E com vontade de escrever. Até logo :-)

Mar Arável disse...

Aguardo

na minha escarpa

daniel disse...

Gostei de recordar o Almeida Garrett, sempre achei piada:

"QUE viaje à roda do seu quarto quem está à beira dos Alpes,de Inverno, em Turim, que é quase tão frio como Sampetersburgo — entende-se."

é daqueles livros eternos, e Garrett, sempre dândi, sempre vaidoso, um apaixonado revolucionário! =)


Adorei recordar este autor! Deixo só um poema do António Nobre chamado "Viagens na Minha Terra":


"Às vezes, passo horas inteiras
Olhos fitos nestas Traseiras,
Sonhando o tempo que lá vai;
E jornadeio em fantasia
Essas jornadas que eu fazia
Ao velho Douro, mais meu Pai.

(...)


Moinhos ao vento! Eiras! Solares!
Antepassados! Rios! Luares!
Tudo isso eu guardo, aqui ficou:
ó paisagem etérea e doce,
Depois do Ventre que me trouxe
A ti devo eu tudo que sou

(...)

E, meiga, tombava a tardinha...
No chão, jogando a vermelhinha,
Outros vejo a discutir.
Carpiam, místicas, as fontes...
Água fria de Trás-os-Montes
Que faz sede só de se ouvir!

(...)

Ora, às ocultas, eu trazia
No seio, um livro e lia, lia,
Garrett da minha paixão...
Daí a pouco a mesma reza:
- Não vás dormir de luz acesa,
Apaga a luz! ... (E eu ainda... não!)"

=)

ângela marques disse...

que prazer encontrar aqui Almeida Garret, mais propriamente, "as viagens na minha terra"...

boas férias!

Violeta disse...

boa viagem por essa "tua terra".
Bjs

Dead Porcelain Doll disse...

Santarém... capital do gótico!! :)

Beijokass!! :D

partilha de silêncios disse...

Umas férias muito felizes ! bjs