terça-feira, 11 de agosto de 2009

Um conselho é uma forma de nostalgia



Vivemos com muitas incertezas e algumas certezas.

10 comentários:

vbm disse...

Live and Let Live!

:)

Ana Paula disse...

Sim, Vasco. Sempre.

Mas não esquecer o protector solar :)

Violeta disse...

Ana Paula
Grande verdade. Cada vez mais incertezas...um grande beijo e boas férias.

poematar disse...

Nunca TINHA pensado num conselho como nostalgia... E não é que é mesmo? Muito a propósito este vídeo. É trágico o ue contaste sobre a bliblioteca Joanina. Não se pode tratar assim marcas fortes da nossa cultura. Pelos vistos, estavas em passeio e não te maçaste muito. Eu faria coro no livro de reclamações. Basta. Estou em pausa nética. Vou aparecendo. Não tenho estado tão "cultural", mar é urgente. Passei por aqui, vendo se arranjo mais disponibilidade para mais mar.
Um abraço e boas férias.

RAA disse...

Esplêndido, Ana Paula :|
Vou guardar estes conselhos.

observatory disse...

:)

simpatica :))))))

sim srª.

reparei na foto (que ja roubei) que está branquinha :)))))

ARTISTA MALDITO disse...

...O melhor conselho será: "Ama e sê livre!"

Não se pode voltar atrás, mas é uma forma enriquecedora transformar o passado, por isso_ talvez_os mais velhos o façam habitualmente.

Ana Paula, também eu vou ao mar:)))

Passo para lhe deixar um beijinho dos grandes,
Isabel

Mar Arável disse...

A vida

é um ciclo de marés


se forem conquistadas

alice disse...

às vezes penso que a única certeza na vida é a morte... isto sem mal aparente... mas talvez o mal seja afinal outra certeza... desculpa se soo negativa... beijinho, ana paula. gosto de passar por aqui*

Dead Porcelain Doll disse...

Eeheheh, este vídeo é giro, eu já conhecia!! De facto... a juventude!! Valorizamo-a em excesso, porque tiramos pouco partido das coisas maravilhosas que o passar do tempo traz; ou seja, na verdade, aproveitamos mal o nosso tempo e tiramos pouca sabedoria do seu passar... por isso sentimos falta daquilo que a juventude nos traz, que é tão menos do que a idade nos traz. As coisas vistas à distância, por vezes, podem tornar-se mais nítidas, porque nos apercebemos do todo, do geral, do global. Visto à distância, tudo parece inofensivo... talvez se pudéssemos olhar à distância o momento presente... agora já. De facto, a preocupação, como todos os sentimentos negativos, é pouco produtiva... é corroborar com o bloqueio... é ficar preso nele... de facto, aquilo que é realmente perigoso é aquilo que desconhecemos totalmente... se já temos conhecimento de causa, então é meio caminho para minimizarmos o problema, pelo que não há assim tanto motivo de preocupação. Na vida podemos sempre ter um objectivo interessante: tornar-nos pessoas melhores... acho que essa deve ser a nossa única meta... o resto vem por acréscimo...

Dar um conselho é mais do que nostalgia... dependendo do conselho, obviamente; os conselhos nostálgicos têm pouco valor (quanto a mim); já os conselhos do coração... aqueles que provêem da compreensão profunda de si mesmo e dos demais... esses significam dádiva... se queremos colher amor, é amor que devemos semear...

Aumentar o número de certezas faz aumentar o número de incertezas... é bom aumentar o número de certezas, mantendo-as contudo saudavelmente incertas... abertas ao crescimento, à análise, à progressão.... ;)

Bjoka!