segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Tentativa 2: amarelo



Há pouca poesia para dar

abro a janela expectante

poema entra de rompante

senta-se à mesa e diz

janta comigo depois

vê-te num tête-à-tête

senta-te de um a dois

poema conta-te a história

faca no ar sibilante

recorta longe a memória

pede-te inspiração

então

senta-te de dois a um

pendura por mim as velas

inclinadas no vazio

pequenos nadas que és

a toalha é amarela

por isso é uso estendê-la

bradante no seu esplendor

deixa-me servir-te o poema

colocá-lo em canto de prato

no espaço há outras palavras

que podes desarrumar

até ao caos cintilante

comer a estrelinha e rir

a vida passa no instante

assim poema é inquietante

sentada de um a mil sabias

que o ar adensa a poesia

inspiremos pois




Imagem: Belle Baranceanu, The Yellow Robe

17 comentários:

RAA disse...

Fico à espera de mais cores, Ana Paula :|

Prosa & Poesia disse...

belo poema... belas palavras... tão inquietante qto as boas poesias... Obrigada pelas visitas... seus comentarios são gratificantes... Abracos e Luz para ti...

Violeta disse...

mas há momentos em que o simple sinspirar quebra a magia... acordamos e já é realidade.

mié disse...

na mesma linha do homem vermelho a toalha amarela é poema que se serve se senta e se come...a Realidade dos dias.

Poema que é a vida...

entra pela janela da memória que abres que ouves que estendes______recorda Grandes pequenos nadas. promessa de outros

e

enquanto isso

serenidade é preciso na memória dos dias.

É interessante esta duplicidade na unidade do poema.

E assim nasce uma nova forma de dizer. A tua.

Um beijo enorme

Gosto-te muito.

Artista Maldito disse...

Boa Noite Ana Paula

Hoje ando a pedir a todos que me desculpem, eu bem leio vezes e vezes, mas que se pode fazer, náo estou com calma para comentar devidamente.

Amanhã volto já com os pés assentes na terra, pois hoje estou nas nuvens.

Beijinho
Isabel

Ana Paula disse...

Obrigada, RAA! As cores hão-de singrar, espero... :)

Prosa e Poesia: obrigada pela gentileza. Gosto de ir lendo a poesia daí, muito espontânea e genuína!

Um abraço :)

Violeta: tens razão, a poesia é coisa de segundos,minutos, horas... Felizmente ou não!, a realidade impera.
Bjs!

Mié: obrigada pela tua atenção e palavras amigas!
É bom partilhar estas cores contigo :)
Beijinhos!

Olá, Artista Maldito :)

Pois isso é óptimo! Estar nas nuvens é mesmo aquilo de que tento falar!
Espero que as nuvens sejam motivo de radiante felicidade :)

Um beijinho também!

Nota: tentar escrever poesia apresenta-se-me antes de mais como uma tentativa de libertação. Das mais difíceis. Podia explicar porque o afirmo assim, mas fica para outra altura.

De qualquer modo, que fique dito:

não passa de tentativa sem qualquer pretensão, de alguém que às vezes se entretém em busca de inspiração!

Acho que, por acaso, rimou um pouco :):)

Muito obrigada pela atenção!

Artista Maldito disse...

Bom Dia Ana Paula

Sim, realmente estava nas nuvens de radiante que estava. E como bem diz no poema "a vida passa num instante/ assim o poema é inquietante".

Além de me ter dado a conhecer esta artista plástica americana, o que para mim é importante e muito, o poema da Ana Paula diz o meu estado de espírito, pois o ar que respiro "adensa a poesia".

Ao contrário da maioria das pessoas eu tenho predilecção pelo amarelo e segundo li esta cor era rara nesta artista.

Providencial? O amarelo vibra, é estimulante..."inspiremos pois".

Beijinhos e obrigada, vou conhecer melhor Belle Baranceanu
Isabel

ângela marques disse...

parece que cheguei atrasada. Mas valeu a pena!

:))))) adorei outra vez!

beijo

partilha de silêncios disse...

poesia à mesa...
a toalha amarela.

...a faca no ar sibilante, recorta longe a memória.

...senta-te de dois a um
sente o poema

a vida passa num instante.

... no espaço há outras palavras que podes desarrumar até ao caos cintilante.

pois continua

beijinhos

alice disse...

que delícia um poema assim servido sobre uma toalha amarela :) seria excelente partilhar uma refeição em que efectivamente a poesia fosse o mote da conversa, é uma ideia muito original e duplamente agradável porque abre o apetite de cada um dos nossos sentidos :) um grande beijinho, ana paula. gostei muito.

mdsol disse...

:)))

contracena disse...

Tentativas conseguidas.

Acho que vou comprar uma toalha amarela :)))

Um beijo, Paula.

Mar Arável disse...

A vida passa na mesa

das palavras

inspiremos pois

observatory disse...

bom dia ana

o seu blog ...

:)

bem comportado e bonito.


eu ja em sofrimento fisico. vim cá pro conforto. para acalmar as maos.

:)

beijo

em azul disse...

Comi este maravilhoso poema amarelo.
Beijo
em azul

Eliete disse...

Ana Paula , um banquete servido com suas poesias é tudo de bom e o amarelo só pode ser devido ao brilho que você transmite com suas palavras e que nos enriquece diáriamente. Um lindo final de semana.Beijos, Eliete

daniel disse...

Finalmente consegui aparecer... o tempo não me tem sido favorável, no entanto, entrar neste magnifico blog, e dar de caras com este magnifico poema, esta magnifica alegoria artística, obriga-me a escrever um comentário... =)
Espero que continue a "ilustrar" o nosso pensamento, o nosso dia-a-dia com os seus textos quer de prosa quer de poesia.

=)