sexta-feira, 30 de maio de 2008

O Sonho



Numa ida ao teatro com os alunos, deparei-me com a Companhia de Teatro O Sonho, da qual já me tinham falado antes, mas que ainda não tinha tido oportunidade de ver representar. A peça a que assistimos foi Falar Verdade a Mentir de Almeida Garrett. Um texto que conheço bastante bem de trabalhos anteriores a nível de escola.



Ora, estes simpáticos artistas merecem um elogio, já que o seu trabalho é notável no que se refere ao apelo que conseguem fazer aos jovens para os atrair ao teatro, cativando-os e entusiasmando-os de forma simples, mas cheia de humor, e não isenta do rigor e seriedade exigíveis, sobretudo face ao respeito a observar na adaptação do texto original.



Se o grande Almeida Garrett fosse vivo, por certo gostaria de ver este trabalho. É que o seu texto cheio de nuances satíricas e repleto, ainda assim, de reflexões muito sérias (e que vale igualmente como retrato de uma época), transposto para esta sua representação, alcança um objectivo extremamente importante: fica na memória dos jovens que a ela assistem. Portanto, deste modo (e no mínimo), a literatura portuguesa é recuperada e permanece viva a caminho de um futuro que, conforme devemos assegurar, virá a ser culturalmente enriquecido pelo passado.

Um grupo de artistas com espírito de iniciativa e criatividade. Que trabalha com prazer e empenhamento. Que chama os jovens ao teatro. Artistas estes que merecem, sem dúvida, o nosso apoio...


6 comentários:

amfm disse...

Ainda bem que há notícias destas para divulgar:)

Beijo
Bom fim de semana

Art&Tal disse...

tem toda a razao

pela minha parte

sem perder de vista o que de melhor se fez nunca perco de vista o que os meus contemporaneos fazem (no mais terrivel dos anonimatos.

portugal é um país miseravelmente distraido. é um país culturalmente...
nem lhe digo o que penso

Art&Tal disse...

pois é ana

o projecto

os varios projectos deste tipo

vao-nos permitindo resistir ao arrebanhamento

cultivar uma certa sanidade mental

vi ontem por uns segundos o espectaculo das bandeirinhas e fiquei louco.

será que esta gente sabe que existe em portugal um gajo chamado sobrinho simoes?

falo deste como podia falar de outros

saude

alice disse...

e eu que já não vou ao teatro há tanto tempo :( beijinho grande *

amfm disse...

só para te dizer que deixei o contexto resumido da Lady Blue nos comentários...se quiseres espreitar.
Beijo

e-ko disse...

boa combinação: cerejas, Kafka, chuva e teatro! levo tudo!

um beijo