sexta-feira, 26 de abril de 2013

Liberdade


A presença das formigas
Nesta oficina caseira
A regra de três composta
Às tantas da madrugada
Maria que eu tanto prezo
E por modéstia me ama
A longa noite de insónia
Às voltas na mesma cama
A longa noite de insónia
Às voltas na mesma cama

Liberdade
Liberdade

Quem disse que era mentira
Quem disse que era mentira
Quero-te mais do que à morte
Quero-te mais do que à vida
Quero-te mais do que à morte
Quero-te mais do que à vida

 
A presença das formigas
Nesta oficina caseira
A regra de três composta
Às tantas da madrugada
Maria que eu tanto prezo
E por modéstia me ama
A longa noite de insónia
Às voltas na mesma cama
A longa noite de insónia
Às voltas na mesma cama

 
Liberdade
Liberdade
 
Quem disse que era mentira
Quem disse que era mentira
Quero-te mais do que à morte
Quero-te mais do que à vida
Quero-te mais do que à morte
Quero-te mais do que à vida


Letra e Música: José Afonso
Álbum: Coro dos Tribunais (1974) 

Sem comentários: