quarta-feira, 17 de outubro de 2012

mitos para o nosso tempo

Keith Haring, Untitled, 1982

Matar a Hidra foi o segundo dos 12 trabalhos de Hércules. A versão grega da história é, provavelmente, a mais conhecida. Confrontando-se com a monstruosa Hidra, uma serpente com muitas cabeças - entre nove e cem -, Hércules percebeu que assim que cortava uma delas, logo duas cresciam no seu lugar. Com a ajuda do seu sobrinho Iolau, aprendeu a manejar um tição para cauterizar o pescoço da besta. E assim mataram a Hidra. Hércules mergulhou as suas flechas no sangue da besta morta e o seu veneno deu-lhes o seu poder fatal. 

Peter Linebaugh e Marcus Rediker, A Hidra de muitas cabeças: marinheiros, escravos e a classe trabalhadora atlântica no século XVIII

4 comentários:

Eliete disse...

Ana Ppaula, este mito aqui no Brasil é mais do que atual. A hidra está em toda parte e aqui se chama corrupção .bjs

Mar Arável disse...

Há sempre uma boa receita

Ana Paula Sena disse...

Acho que aqui tem o mesmo nome, Eliete, ou então, é muito parecido!

Um beijo.

Ana Paula Sena disse...

...temos que a "cozinhar", Mar Arável!