sábado, 7 de julho de 2012

velocidade existencial

ao longo do tempo tive oportunidade de conhecer muitas pessoas que não sabiam descansar. pura e simplesmente não conseguiam fazê-lo. sinceramente sempre me fez confusão... e claro está acabei por desenvolver uma espécie de teoria acerca disso. não sei se corresponde efectivamente à realidade mas alguns factos levam-me a crer não estar de todo desajustada. é bastante simples afinal: descansar para muitas pessoas significa um estado próximo da morte. "parar é morrer" diz-se. acontece que eu própria também tenho um certo horror à imobilidade. na verdade eu pendi sempre para a agitação e para o desdobramento praticamente impossível de tarefas e para o desejar estar aqui ali além e acolá. eu própria com medo de parar. mas estas coisas acontecem apenas até um certo dia - uma forma de dizer é claro. acontecem até uma pessoa perceber que se não abrandar morre mesmo. é só então que se descobre a maravilha que é descansar. e o mais interessante de tudo isto (elementares cogitações da existência) é algo paradoxal - uma vez que é ao abrandar que realmente se avança. mas a cada um a velocidade certa. ando sempre a tentar descobrir a minha por entre a necessidade de a aferir pela dos outros. e a deles é certamente importante. pelo menos até certo ponto. maravilha das maravilhas: antecipar a possibilidade de viver uns tempos em velocidade moderada. 
dizem estudiosos do cérebro que a vida acelera à medida que se envelhece. se assim é talvez seja por isso que eu quero abrandá-la.

Sem comentários: